vacina

Criado a por em: Curiosidades.

Desparasitação

Um dos cuidados básicos de saúde a ter com o seu cão é a desparasitação. Os cães podem ser infestados com vários tipos de parasitas: os externos (ectoparasitas) geralmente animais, como as pulgas, carraças, ácaros e piolhos. Existem também os parasitas internos (endoparasitas), que se alojam essencialmente no tubo digestivo.

Parasitas externos

Pulgas – Se as condições forem ideais (em temperaturas mais quentes), as fêmeas podem colocar entre mil a dois mil ovos, que se alojarão não só no pelo do cão, como também em tapetes e carpetes. A pulga alimenta-se do sangue do animal podem transmitir várias doenças pela sua picada.

Carraças – Tal como as pulgas, as carraças alimentam-se do sangue do animal fixando-se à pele do animal com as suas peças bucais, podendo também transmitir doenças como a babesiose e a erlichiose , conhecidas como febre da caraça.

Parasitas internos

Estes parasitas afectam normalmente o esófago, estômago, intestino delgado e intestino grosso, havendo parasitas específicos para cada zona do tubo digestivo. Existem vários géneros e espécies como as ténias e as lombrigas, conhecidas por vermes. Os sintomas mais frequentes quando o animal tem parasitas internos são vómitos, diarreia (nos quais são visíveis muitas vezes os parasitas adultos), emagrecimento e no caso dos cachorros pode verificar-se um inchaço na zona abdominal.

Prevenir e tratar

A melhor maneira do seu animal não apanhar parasitas internos e externos é mesmo prevenir! Visto que eles podem apanhá-los em qualquer local, como relvados, passeios ou em contacto com outros animais convém não só utilizar produtos específicos para endo e ecto parasitas como também manter o local onde o cão habita em boas condições de higiene.

Vacinação

No que diz respeito à saúde do seu cão devemos ter sempre em mente que mais vale prevenir do que remediar, portanto vacine o seu cão para prevenir o aparecimento de doenças cujo tratamento sai sempre muito mais dispendioso quando comparado com o preço das vacinas .Todos os cachorros devem ser vacinados o mais cedo possível após as oito semanas de idade variando o plano de vacinação consoante a situação epidemiológica das várias doenças em cada zona geográfica. Os cães são normalmente vacinados contra a raiva ( vacinação obrigatória por lei), esgana, hepatite contagiosa, parvovirose, parainfluenza, leptospirose, tosse do canil e babesiose; as vacinas que protegem destas doenças são dadas em doses ás 6-8, 12 e 16 semanas de idade, com excepção da vacina da raiva que é administrada entre os 3 e os 6 meses de idade, depois só se tem de fazer um reforço anual  .Após as vacinas, durante um periodo de 10 a 15 dias, deve-se evitar submeter o cão a esforços fisícos e lavagens, assim como se deve evitar que ele entre em contacto com ambientes contaminados.