A importância da desparasitação


← Voltar ao blog

O meu animal não sai de casa, deve ser desparasitado?

Os parasitas podem ser perigosos para os humanos?

Tenho um animal bebe, já os devo desparasitar?

Todas estas questões são normais para quem tem animais de estimação, por isso é importante esclarecer as dúvidas que possam existir.

Pulgas, carraças, lombrigas e outros parasitas podem comprometer a saúde do seu animal

Com a chegada da Primavera e o tempo quente a aproximar-se é a altura ideal para falarmos de desparasitação. Quando usamos este termo referimo-nos a todos os parasitas sejam eles internos ou externos. A título de exemplo estes parasitas poderão ser pulgas, carraças, ácaros e as ditas “lombrigas”, nome genérico que se atribui a parasitas que se desenvolvem no intestino, sendo Toxocara Canis o nome científico para alguns deles. Por outro lado, podem existir parasitas que se desenvolvam em qualquer outro órgão interno do animal. Sim, por que o animal pode ter parasitas no coração, pulmão, esófago, fígado… O animal de companhia é vulnerável a um número variável de parasitas e, por consequência, a uma série de doenças que podem comprometer a vida do animal como, por exemplo, a chamada “Febre da carraça”.

Não ver parasitas, não significa que o seu animal não os tenha. Siga o protocolo de desparasitação.

Embora a Primavera seja uma altura do ano propícia ao surgimento de infestações parasitárias é importante seguir um protocolo de desparasitação durante o ano inteiro, uma vez que o simples facto de não conseguirmos ver uma pulga ou “lombriga” não significa que o animal não possa estar parasitado. Como nota explicativa a verdade é que o parasita passa por várias formas larvares até atingir o tamanho adulto, ou seja, há determinados estádios larvares que poderão não ser identificados a olho nú, como o ovo do parasita. Por exemplo, uma única pulga pode pôr até cinquenta ovos por dia.

Mesmo sem sair de casa o seu animal deve ser desparasitado. Porquê?

O tutor do animal de companhia pode ser o primeiro a levar para casa nos sapatos e na roupa, por exemplo, ovos de parasitas que estavam presentes na rua e, assim, transmitir ao seu animal de companhia. Por isso é importante garantir que, mesmo que o seu animal não saia de casa, esteja devidamente desparasitado

Protocolo de desparasitação em cachorros e gatos bebes

De uma maneira geral e, no que toca à desparasitação interna dos cachorros e gatinhos, pode e deve começar por fazê-la, utilizando para isso o produto indicado, aos três dias de vida e seguidamente de quinze em quinze dias até aos três meses e mensal até aos seis meses de vida. A partir dos seis meses o esquema correto de desparasitações internas é de três em três meses. No que diz respeito à desparasitação externa poderá ser realizada mensalmente ou até mesmo trimestralmente dependendo do tipo de produto utilizado.

A desparasitação pode prevenir Zoonoses, doenças que também afetam o ser humano.

Questiona-se, neste momento, que, sendo assim, passará o ano inteiro a desparasitar o seu animal de companhia. Pois bem, a desparasitação, a par da vacinação, representa um ato médico veterinário profilático de extrema importância, uma vez que existe uma imensidão de parasitas que podem afetar os animais de companhia mas não só, existem parasitas que são responsáveis por zoonoses, isto é, doenças que, também, podem afetar o Homem. É, portanto, uma questão de Saúde Pública.

Não existe um produto totalmente eficaz contra todos os parasitas, diversifique a desparasitação

Outra dica consiste em, não só desparasitar várias vezes durante o ano, como utilizar desparasitantes com princípios ativos diferentes e porquê? A verdade é que não existe um produto que atue contra todos os parasitas sendo, desta forma, importante que vá tentando abranger o maior número de parasitas possíveis nas diversas desparasitações ao longo do ano. Mais ainda, é importante referir que diferentes zonas habitacionais como a cidade versus a aldeia podem possuir espécies parasitárias diferentes e até mesmo endémicas em determinadas zonas como o caso da  Leishmaniose que, para além de ser uma zoonose,  é endémica na região de Trás-os-Montes, por exemplo.

Ainda tem dúvidas? Agende já uma consulta com a DrBigodes.

O seu Dr. Bigodes será o profissional indicado para o ajudar a si e ao seu animal de estimação para que seja feita uma correta desparasitação ao longo do ano ou, até mesmo, tratar alguma doença que seja consequência de algum parasita que se tenha alojado no seu animal de companhia. Contacte-nos!

A DrBigodes escreveu este artigo para a Saber Viver.