10181826903386

Criado a por em: Curiosidades.

A linguagem dos gatos não é tão intuitiva para nós como, por exemplo, a dos cães. Para percebermos melhor, basta pensarmos que se um cão vem ter connosco a dar à cauda, com ar de brincadeira, é fácil percebermos o que ele quer. Pelo contrário o abanar da cauda num gato é, normalmente, sinal de descontentamento.

O facto de ser mais difícil de compreender a linguagem corporal de um gato, não significa que não se consiga. É mesmo essencial um dono saber ler a linguagem corporal do seu gato. Observar a postura corporal do gato é a maneira mais simples de conseguir interpretar o que o seu gato está a pensar num determinado momento.

Postura amigável

Quando o seu gato de aproxima de si com a cauda erguida e a cabeça esticada, baixe-se e responda sorrindo e falando de modo amigável também.

Ao esfregar a cabeça e o corpo nas suas pernas, o gato demonstra que está feliz por estar novamente consigo, sendo um indicador de aceitação total e de amizade. Ao mesmo tempo está a libertar feromonas produzidas ao nível da face (não detectadas pelos humanos), indicativo de segurança territorial e tranquilidade. Retribua na mesma maneira, acariciando as zonas do corpo que ele mais gosta, só vai fortalecer ainda mais a ligação. Quando estão a ser acariciados os gatos podem enterrar as unhas, de forma mais ou menos profunda. Não repreenda este comportamento, é um comportamento natural que não deve ser contrariado.

Postura de aproximação ofensiva

Aproximação com o corpo arqueado, de olhar fixo, com pupilas de tamanho normal, orelhas levantadas e com a cauda a mover-se constantemente de um lado para o outro, está muitas vezes associada a defesa territorial, sendo tipicamente observada entre dois gatos machos em luta para acasalar. Não se aproxime nem tente acalmar um gato com este padrão de comportamento.

Postura defensiva

Orelhas baixas e direccionadas para trás, pupilas dilatadas e corpo arqueado e de lado, de modo a ficar perpendicular à pessoa ou animal com quem quer evitar contacto, é muito frequente em gatos medrosos, ou em situações em que se sentem ameaçados. Não devemos forçar a interacção nestes casos pois pode precipitar reacções agressivas. O medo é uma das principais causas de comportamentos agressivos.

Repertório vocal do gato

Embora a observação da expressão corporal seja o mais importante na comunicação com o seu gato, ele também comunica através de sons. O repertório vocal do gato é extenso  e tem mais de 16 sons diferentes. Os sons incluem gritos de raiva, uivos e rosnadelas. Conforme a entoação assim o miado de um gato pode servir para exprimir vários humores.

Ronronar

Na maioria das vezes é sinal de relaxamento, mas também pode ser para chamar a atenção. Existem vários padrões, existindo diferenças acústicas de acordo  com o objectivo pretendido pelo gato (por exemplo pedir alimento). Há gatos que ronronam em resposta à dor ou ao stress, por isso não associe este comportamento exclusivamente a experiências positivas.

Rosnar

Vocalização com tom áspero e de longa duração, associada a interacções agressivas.

Bufar

Emitido de boca aberta, com exposição dos dentes, exprime descontentamento, muitas vezes por medo.