abracarcachorro_passo2

Criado a por em: Curiosidades.

Na prática clínica verifica-se que cães machos não castrados com mais de 6-8 anos de idade, independentemente da raça, têm 80% de probabilidade de serem afectados por doenças prostáticas. Esta pequena glândula tem grande importância porque liberta secreções prostáticas imediatamente antes e durante a ejaculação que ajudam a melhorar a viabilidade dos espermatozóides e a ter maior sucesso reprodutivo.

Doença prostática

Felizmente, ao contrário do homem, a principal causa de doença prostática não é tumoral, mas sim um aumento do tamanho da próstata desencadeada por influência hormonal. É importante o dono estar preparado para reconhecer os sinais compatíveis com a doença prostática para poder intervir adequadamente.

Sinais clínicos

-> Tenesmo (esforço/dificuldade para defecar);

-> Fezes achatadas;

-> Disúria (dificuldade em urinar);

-> Hematúria (sangue na urina)

-> Sangue ou secreções purulentas na ponta do pénis (não associados à miccção);

-> Dor abdominal e arqueamento da coluna;

-> Prurido recorrente na região perianal (comum na prostatite crónica).

Diagnóstico

O diagnóstico de doença prostática passa pela história clínica e sinais clínicos, palpação da próstata por via rectal, análises sanguíneas para descartar outras patologias, análise e cultura de urina (verificar presença de bactérias ou cristais), ecografia abdominal pélvica, citologia ecoguiada ou por algaliação, passando pela TAC ou biópsia ecoguiada.

Hiperplasia prostática benigna

A hiperplasia próstatica benigna (HPB) é a doença prostática mais comum e consiste apenas num aumento do tamanho da próstata, de carácter benigno. Ocorre, normalmente, a partir dos 5 anos de idade e apenas em cães machos não castrados. É devido à presença de testosterona que provoca uma estimulação contínua da próstata que, com o tempo, provoca o aumento do seu tamanho. O tratamento consiste em remover o estímulo da testosterona sobre a próstata. O mais eficaz é a castração do macho (orquiectomia) que leva à redução de 50% do tamanho da próstata em 3 meses. Existem ainda tratamentos farmacológicos descritos com estrogénios e progestagénios, mas devido aos efeitos secundários graves que provocam não são recomendados.

Prostatite

É uma inflamação e/ou infecção da próstata podendo ser aguda ou crónica. É a segunda causa mais comum de doença prostática podendo ser causada por diferentes bactérias. Na maioria dos casos a infecção da próstata ocorre por refluxo das bactérias presentes na bexiga ou por infecção ascendente desde a uretra. Dos sintomas mais frequentes encontramos animais apáticos, com dificuldade a urinar, dor à palpação da próstata, urina com sangue e vómitos. O tratamento da prostatite inclui o uso de antibióticos.

Diagnóstico precoce

O prognóstico da maioria das doenças prostáticas é bom, excepto em casos de tumores de próstata, onde o prognóstico é mau, principalmente se já estiver metastizado. Outras das frequentes afecções são os abcessos, tumores e quistos prostáticos.