artrose-felina

Criado a por em: Curiosidades.

Com o passar dos anos, vão acontecendo alterações fisiológicas e comportamentais e a sua vulnerabilidade a determinadas doenças vai aumentando.

Alterações comportamentais

Com todas as modificações no organismo do gato, este acaba por revelar alterações comportamentais, ainda que estas possam ser bastante subtis. Quando comparado com o cão, torna-se bastante mais complicado identificar a “velhice”. No entanto, para donos mais atentos, existem alguns sinais. Gatos mais velhos caçam menos, passam menos tempo no exterior, tornando-se menos activos e passam (ainda) mais tempo a dormir. O apetite também sofre alterações: alguns perdem-no enquanto outros se tornam mais vorazes. Também é comum diminuir a frequência da higiene e brincarem menos.

Cuidados especiais

Existem alguns cuidados, que podemos tornar rotineiros para garantir que o bem-estar e qualidade de vida dos nossos gatos se mantêm assegurados.

Manicure

Gatos mais velhos podem ter dificuldade em retrair as unhas quando estão a arranhar e ficar presos em carpetes ou mobílias, enquanto outros podem deixar de as desgastar com a diminuição da actividade, provocando um crescimento exagerado. Assim, é importante que o dono vigie e se necessário corte as unhas ao gato.

Higiene

O dono pode também dar uma ajuda quando o gato perder capacidade de se lavar. O banho é geralmente evitável! Basta ajudar na limpeza de secreções oculares ou nasais que possam ficar acumuladas, com uma simples compressa. Quanto à área genital, pode recorrer-se a uma tosquia higiénica. Em casos mais extremos existem champôs secos muito eficazes. A escovagem tem também um papel fundamental na manutenção da higiene e ajuda na remoção do excesso de pelo, diminuindo a sua ingestão e a consequente formação de bolas de pelo.

Bolas de pelo

Com a diminuição na capacidade de digestão, é comum que as bolas de pelo não sejam eliminadas tão naturalmente como outrora e, por isso, podem originar vómitos crónicos ou obstipação. Mais uma vez, existem suplementos ou dietas que podem ajudar a controlar o problema.

Dentista

As alterações de idade também se fazem sentir na cavidade oral e, por isso, é importante o dono ir vigiando os dentes e as gengivas e ficar atento a processos inflamatórios (gengivas vermelhas), presença de placa bacteriana ou evidências de doença periodontal. Outros sinais de alarme incluem salivação excessiva, ranger os dentes, levar as patas à boca e perda de apetite.

Exames de rotina

A partir dos 7 anos de idade é recomendável o gato fazer análises de rotina anuais. Nunca é demais relembrar que os felinos são mestres em camuflar sinais de doença e, por isso mesmo, torna-se fundamental estar sempre um passo à frente e apostar na medicina preventiva.

Estimular o apetite

Com a diminuição do olfacto e do paladar, o gato pode ter perda de apetite, mas existem formas de o manter interessado na comida. A oferta de comida deve ser mais frequente e em menor quantidade, num sitio calmo, onde distracções podem ser evitadas. A taça da comida deve ser larga, uma vez que a maioria dos gatos se sente desconfortável quando os bigodes tocam as margens. Tentar várias texturas de comida: com a idade, muitos gatos acabam por preferir comida húmida, sobretudo quando um problema dentário pode causar desconforto, mas não se esqueça de ir trocando a comida regularmente; assim que seca, perde o interesse. A comida pode ser aquecida (cuidados com as queimaduras), idealmente um pouco abaixo da temperatura corporal, para aumentar a palatibilidade.

Estimular a ingestão de água

Se a estimulação da ingestão de água é um ponto crítico para os gatos de todas as idades, para os mais velhos torna-se ainda mais importante, porque desidratam com maior facilidade, sobretudo quando existem condições médicas (como doença renal crónica) associadas. Desta forma, é importante distribuir vários pontos de água fresca pela casa, afastados da comida. É importante ir trocando várias vezes ao dia para que se mantenha sempre fresca. Se o gato gostar especificamente de frango ou de peixe, congelar a água de cozedura (sem sal ou outros temperos) e adicionar esses cubos de gelo à água disponível pode aumentar a sua ingestão.

Mais mimos do dono!

Resta reter que à medida que envelhece, o seu gato precisa cada vez mais de um dono atento, mas, acima de tudo, de um dono que o mime.