cachorros-para-apartamento

Criado a por em: Curiosidades.

Muitas são as raças de tamanho pequeno que se adaptam sem dificuldade a viver num apartamento, especialmente as chamadas de cães de companhia.

Adaptação às nossas necessidades

Quando nos preparamos para escolher uma raça com um tamanho adequado à nossa casa temos de considerar em primeiro lugar as diferenças morfológicas. Um cão magro e comprido, como o pequeno Galgo Italiano, precisa de mais espaço do que o robusto e pequeno Bulldog Francês.

As diferenças de tamanho entre algumas raças de cães são sobejamente conhecidas. Estas diferenças não estão relacionadas apenas com a morfologia. O físico do cão varia incrivelmente entre raças como as citadas anteriormente, sendo quetambém o temperamento apresenta uma grande variação. Os Terriers são muito nervosos em comparação com os calmos Spaniels.

Felizes em casa

Devemos certificar-nos sempre que existe uma boa adaptação do cão ao seu ambiente. O animal nunca deve apresentar comportamentos repetitivos ou atípicos. Os cães concebem a casa como o seu território, e ladram para defendê-lo. A abertura da porta pode provocar comportamentos muitos diferentes, como excitação em animais familiarizados com os humanos, ou medo em cães menos sociáveis. Vai avaliar com cuidado uma reacção de medo frente a pessoas estranhas, já que o normal será mostrar curiosidade ou inquietude perante pessoas desconhecidas.

Enriquecimento ambiental

Chamamos enriquecimento ambiental aos elementos adicionados ao ambiente do cão, com os quais pode interagir. O cão é um animal social e beneficia da companhia dos seus congéneres e do ser humano. Também não podemos esquecer-nos de que as experiências vividas pelo cão durante as suas fases de desenvolvimento são determinantes do seu comportamento social, portanto as condições de alojamento do animal terão impacto sobre o seu futuro bem-estar.

Brinquedos e outros

Está comprovado que os elementos de enriquecimento ambiental, como brinquedos e outros idênticos, beneficiam a conduta do cão. Em muitos casos, inclusive, provocam uma mudança bem-vinda no seu comportamento. Uma conduta anormal, como por exemplo de asseio persistente, em que um cão se lambe continuamente, pode ser eliminada se lhe dermos um osso para roer. Os cães reagem bem quando se enriquece o seu ambiente.

O cão e a música

Durante muito tempo pensou-se que a música reduzia o stress nos animais, possivelmente porque relaxava e acalmava o seu dono. Mas não existe nenhum estudo sério que aconselhe o seu uso no cão.

A música com um volume prolongado superior aos 85 dB provoca danos auditivos e a capacidade do cão para ouvir frequências elevadas inapreciáveis ao ouvido humano faz com que determinados instrumentos lhe transmitam um grande incómodo (como a flauta e o violino). A única música ambiental recomendável é a voz humana ajustada ao tom de conversação, pois os cães costumam distinguir a voz humana.

Socialização do cão

Os cães que ladram muito, que se recusam a vir quando chamados ou que demonstram tendências agressivas quando alguém se aproxima, estão provavelmente pouco socializados com pessoas. Os cães pouco socializados são medrosos, podem chegar a morder por medo, são difíceis de controlar e de educar. Estas manifestações são a prova evidente de um estado de angústia e de uma falta de bem-estar no cão.

Exercício físico

Diversos estudos provaram que, em média, os cães utilizam apenas entre 30 minutos a uma hora, por dia, a desempenhar uma actividade, independentemente do espaço a que estão confinados.

Basicamente os cães são preguiçosos. Não gostam de exercício e não sentem nenhuma atracção particular pela corrida. Daí a necessidade de incrementar os momentos e objectos de jogo e permitir que interajam connosco, com outros cães e com objectos. Caso contrário, isso irá ressentir-se na sua saúde e ficarão obesos.

Algumas raças

Muitas são as raças de tamanho pequeno que se adaptam sem dificuldade a viver num apartamento, especialmente as conhecidas como os cães de companhia, tais como: o Bichon Maltês, o Caniche, o Chihuahua ou o Epagneul Pequinês. Mas também existem raças de tamanho maior que podem viver felizes em apartamento, como o Golden Retriever.