O que ainda não sabe sobre os Yorkshire Terriers


← Voltar ao blog

Yorkshire Terrier

Se tem ou deseja ter um Yorkshire, conheça algumas curiosidades sobre esta raça. Por detrás do seu pelo atraente, há uma personalidade bem vincada, com herança Terrier, que vale a pena conhecer. Saiba a história deste patudo, como o deve educar e quais as principais doenças a que deve estar atento.

O Yorkshire Terrier, também chamado “York” ou “Yorkie”, é conhecido pelo seu tamanho pequeno, pelo azul-aço sobre castanho fogo e grande atitude e autoconfiança. Já para não falar do seu latido – um bom alerta -, que muito diz sobre o seu caráter dominador e corajoso.

Aparência dos Yorkshire: um Terrier miniatura

É um dos cães de raça mais pequenos do mundo, mas dono de uma aparência tão particular, que não passa despercebida.

Tirando-lhe as medidas: tem uma altura de cerca de 18 a 23 cm e um peso corporal que pode atingir, no máximo, 3,2 kg.

A maior parte dos Yorkshire tem o corpo coberto por uma pelagem surpreendentemente longa, suave e fina. No entanto, nem todos são assim. Existem variantes de pelo curto, bem mais áspero ao toque. 

Em relação ao comprimento do pelo, este pode chegar aos 37 cm e cresce permanentemente, dividido por uma risca dorsal. Por muito giro que lhe possa parecer, não é aconselhável que o comprimento do seu pelo prejudique a sua mobilidade e segurança. Se é o caso do seu Yorkshire, saiba que os serviços de banhos e tosquias do Dr. Bigodes garantem beleza, higiene e segurança ao seu animal. 

O padrão da raça permite apenas uma combinação de cores de pelo: um tom bronzeado na cabeça e um pelo preto afogueado no peito que se estende do occipital à base da cauda. O pelo bronze é escuro na raiz e mais brilhante nas pontas.Esta pelagem admirável, com textura semelhante ao cabelo humano, brilhante e macia não apresenta períodos de muda e requer cuidados específicos. O alimento do animal deverá ser rico em ácidos gordos e biotina para enriquecimento do próprio pelo.

Crias e adultos Yorkshire têm cores diferentes

Os cachorros Yorkie nascem pretos e castanhos. À medida que se torna adulto, o preto torna-se mais brilhante e a cor passa a preto afogueado.

Como já referido, os Yorkshire possuem genes exclusivos da raça e essa é a razão para tal mudança. Geralmente, a transição é iniciada aos seis meses e termina quando o cão chega aos dois, podendo ir até aos três anos.

Personalidade: confiança de “cão grande

O Yorkshire Terrier é um cão vivo, impulsivo e cheio de vida, mas também teimoso. Ladra muito, a “alto e bom som” e, como tal, é um bom cão de guarda. Corajoso e dominador, não hesita em “atacar” cães maiores.

Autoconfiança: um vínculo forte às suas origens

Dizem-nos os estereótipos que os donos de Yorkshires são geralmente mulheres com algum poder de compra. Ora, estes estereótipos fazem algum sentido – já explicaremos porquê -, mas nem sempre foi assim. 

A história do Yorkshire Terrier remonta aos tempos da Revolução Industrial, século XIX, na Inglaterra.

Às cidades chegavam, não só os operários, como também os cães. Entre eles, o já extinto Clydesdale e o Skye Terrier, um dos ascendentes do Yorkshire Terrier, ao lado do maltês e do antigo inglês Black & Tan Toy Terrier

A história descreve-nos as cidades da Revolução Industrial, sujas e repletas de ratos. É aqui que entra o Terrier. Para eliminar as pragas, no final do século XIX, no condado de Yorkshire, no norte de Inglaterra, os operários começaram a treinar o corajoso e pequeno Terrier. Foi assim que surgiu o nome desta raça. 

À medida que a história da caça aos ratos desvanecia, iniciou-se a criação de cães de raça pura, a nível profissional.

Os operários dos bairros pobres do condado de Yorkshire cedo perceberam que poderiam lucrar com a criação de Terriers. Para tornar este cão popular em círculos nobres, reduziu-se ao tamanho e peso dos Yorkies e o pelo longo e sedoso foi otimizado, com o cruzamento de várias raças.

Em 1886, o Yorkshire Terrier foi oficialmente reconhecido como uma raça autónoma e rapidamente se tornou num dos cães de pequeno porte mais famosos do Reino Unido.

Entre o Yorkshire e as crianças pode pôr-se a colher

Os Yorkshire Terrier são extremamente afetuosos, mas têm algumas dificuldades em interagir com crianças mais agitadas. Desconfiados por instinto, nem sempre sabem interpretar as brincadeiras dos mais pequenos.

Se tem filhos, tome também atenção ao que podem fazer ao seu patudo enquanto brincam. Os Yorkie são muito pequenos e com uma estrutura sensível.

Ainda assim, estes animais são um excelente membro da família, mesmo para quem vive num apartamento ou em ambientes com espaço reduzido. Saiba como tornar a sua casa pet friendly.

Apetite delicado, à maneira de um Yorkie

Não esperávamos outra coisa deste Terrier miniatura. O seu caráter vincado e caprichoso estende-se à hora da refeição.
Por ter um olfato bastante menos desenvolvido do que os cães de maior porte, o alimento de um Yorkshire Terrier deve conter uma combinação de aromas excepcionais. Na loja online Dr. Bigodes pode encontrar alimentos para cada tipo de animal. Até para os mais exigentes.

Doenças mais comuns dos Yorkshire

A esperança de vida do Yorkshire Terrier  situa-se nos 15 anos, o que significa que esta raça requer uma protecção activa contra os efeitos do envelhecimento, que podem afetar a qualidade da pele e da pelagem, o funcionamento cardíaco, bem como a mobilidade articular.

Alimentos com teor adequado de antioxidantes vão ajudar o seu Yorkshire Terrier a envelhecer de forma saudável, mas há mais cuidados a ter.

Saúde oral

Tal como os outros cães de raça pequena, o Yorkshire Terrier tem grande predisposição para problemas de saúde oral. Hábitos de higiene oral são, portanto, essencial.

A melhor forma de prevenir a formação de placa dentária e de tártaro é através da escovagem diária dos dentes e de um alimento adaptado com nutrientes, nomeadamente o polifosfato de sódio.

Problemas cardíacos

A degeneração da válvula mitral afeta cerca de 90% dos cães de pequeno porte e, claro está, os nossos queridos Yorkie têm predisposição para tal. 

Fique atento a sintomas, como cansaço recorrente, tosse e dificuldades respiratórias. Sendo uma doença sem cura, aconselhamos o acompanhamento médico constante.

Problemas pulmonares

O Colapso traqueal – alteração do formato na traqueia – tem como sintomas tosses curtas e secas, engasgos frequentes e dificuldades respiratórias. 

Pode ter origem genética ou tratar-se de uma consequência do envelhecimento e doenças infecciosas. 

O diagnóstico antecipado desta doença, através de raio-X, pode salvar o seu Yorshire. Não tem cura, mas pode ser controlada por medicamentos e acompanhamento adequado de um médico veterinário.

Problemas hepáticos

A doença congénita Shunt Portossistémico consiste na alteração nos vasos sanguíneos que chegam ao fígado, provando a acumulação de toxinas produzidas pelo próprio corpo.

Consequência? O seu Yorkie pode ficar desorientado, cego, com convulsões e, em casos extremos, em coma.

É diagnosticada através da ultrassonografia e o tratamento é realizado através de tratamento cirúrgico.

Agora que conhece melhor os Yorkshire Terrier, conte com o Dr. Bigodes para cuidar do seu pequeno grande patudo. Na saúde, no bem estar e na brincadeira.